Teint Miracle da Lancome!

Teint Miracle da Lancome!

19 de abril de 2013 12 Por Luciana Vilela
Enfim, depois de um ano usando a base – claro, em ocasiões especiais – vou “tentar” fazer a resenha dela pra vocês. Fiquei muito tempo pensando em como falar dessa base, que já é tão famosa, sem ficar chovendo no molhado, pois todo mundo fala que ela é ótima e a minha opinião é a mesma, então…
Vamos lá: minha cor é a Ivoire 2C, escolhida pelas observações de fotos na internet, o que não é muito seguro, mas ajuda. E posso falar? É a base mais idêntica ao meu tom de pele, de todas que eu tenho. Nem as que eu comprei na loja da Mac, com a indicação do maquiador olhando pra minha cara, não são iguais assim.
Ah, vale lembrar que os nomes das cores que são vendidas no Brasil são diferentes das que são encontradas lá fora. Agora me explica: já é difícil encontrarmos nossa cor ideal de base, e esse povo ainda muda o nome de acordo com o país!!! Me ajudaí, pô!!!!!
Depois de um ano usando Teint Miracle e Diorskin Forever, cheguei finalmente à conclusão de que essa é a minha base predileta de todas que já usei até hoje. Quero deixar bem claro que ainda estão de fora da minha avaliação muitas ainda, pois não usei a HD da Make Up Forever, Naked Skin, Vitalumiere da Chanel e a Maestro da Giorgio Armani, que estão na minha lista de espera (humilde essa lista, hein? rsrs).
Mas se alguma delas já chegar perto da Teint Miracle já estará bom!
Na verdade, antes eu não conseguia encontrar um ponto em que uma fosse melhor do que a outra, e realmente não tem. Duração, cobertura, a sensação na pele, o resultado.. tudo é bom, excelente! Acontece que a única coisa que realmente diferencia uma e outra é o acabamento: a Diorskin é mate, a Teint Miracle é luminosa.
MASSSSSSS….. uma coisa importante: às vezes as marcas confundem o acabamento com luminosidade com acabamento brilhante, parecendo que sua pele oleosa está pronta pra fritar um ovo. Na minha opinião, o problema do acabamento do BB Cream da Maybelline da fórmula brasileira parece ser esse.
Repare na foto acima como a Teint Miracle tem um lindo reflexo perolado. Aliás, na foto abaixo também:
A famosa luminosidade da base só pode vir daí, não vejo outra explicação. Mas fique tranquila: você não fica com o rosto dourado, ou perolado, ou brilhando como se estivesse com um glitter, ou coisa assim. É diferente..
A Lancome chama de “Lancome’s Aura Inside”… esse marketing acertou!
Vamos às amostras:

Essa quantidade sai quando você aperta o pump 1 vez. Eu preciso de 2 dessa pra cobrir o rosto todo.

Será que só aí já dá pra perceber o que eu estou tentando explicar? Diz que sim, por favor!!!
É uma boa cobertura, mas natural, e de novo, vou ter que dizer, luminosa, sem ser brilhante.

Uma coisa que eu tenho que destacar: bases luminosas são perfeitas para pessoas acima dos 35, 40…sabe porque? Devolvem o viço da pele, que começa a faltar principalmente para quem abusou do sol a vida toda. Uma das principais características da pele envelhecida e que deixa transparecer o cansaço é a falta de viço, e uma base dessas ajuda, e muito.

Afff…esse blog é um exercício de sublimação da minha vaidade…olha essa foto tipo 3×4 de identidade que a gente não mostra pra ninguém! kkkkkkkkkk

Mas vamos ao que interessa. Não passei corretivo, mas espalhei a base também nas olheiras pra vocês verem melhor a cobertura que ela dá. Ah, espalhei com o F80, da Sigma!

E aqui, no rosto todo:

Na minha opinião, uma reforçada no corretivo na área dos olhos, e pele perfeita.

Essa base, na minha opinião, serve pra todo tipo de pele. Aguenta bem a pele oleosa (aliás, é oil-free e tem FPS 15), como tem esse acabamento legal é bom para peles mais maduras também (minha mãe comprou uma pra ela, vocês tem que ver que legal que fica).

E pra terminar o post chovendo no molhado… dá pra entender porque a princesa escolheu essa base no dia do casamento, eu escolheria no meu também!


*Quero dar um pitaco a respeito da pronúncia dessa base. Teint é uma palavra francesa, mas os americanos “americanizaram” a pronúncia para algo como”ten miracle”, do jeito que se escreve, só que enrolando a língua no “miracle”, rsrs. A pronúncia em francês, que fica mais pedante, mas é a original da língua da Lancome, que é francesa, é “tã mirrácle”, aliás, do jeito que a Vic Ceridono fala em seus vídeos. Eu pessoalmente, costumo falar dos dois jeitos, pois se eu falar do jeito francês com as pessoas elas não vão saber do que eu estou falando mesmo!