TPM – o que ela faz comigo?

11 de agosto de 2015 12 Por Luciana Vilela

TPM não existia no meu mundo, mas hoje em dia…

Nunca tive TPM até 2013. Essa palavra não existia no meu vocabulário, nem na minha vida. Hoje, em compensação, ela resolveu descontar todo o tempo em que eu a ignorei… Quer saber um pouco mais? Senta que lá vem história…

Antes de 2013…

Eu não sei o que aconteceu comigo em 2013, mas tudo mudou naquele ano. Aliás, eu tenho uma desconfiança: stress. Naquele ano eu fui 6 ou 7 vezes ao hospital por conta de uma inflamação na garganta que ía e voltava, até que tomei um antibiótico que me deu uma reação violenta  quando estava no Rio procurando um apartamento. Quem se lembra? Fiz este post no quarto do hotel: Sobre saúde, remédios e afins

Nessa mesma época: eu estava trabalhando muito (ainda com arquitetura), sendo cobrada por algumas coisas que não dependiam de mim (entregas de fornecedores, mão de obra – quem administra obra sabe como é, o cliente cobra da gente e nós temos que comprar a briga, no final todo mundo cobra de todo mundo), meu marido foi convidado para trabalhar no Rio e eu comecei a planejar a mudança, procurar apartamento, escola, etc.

Em um mês desses, não me lembro qual, cheguei a fazer um exame de gravidez, pois não menstruei por quase 2 meses! Contei para minha ginecologista que estava tendo dores, períodos de nervosismo, choro, enfim, tudo o que nunca tive antes, e ela me pediu exames para ver como estavam os hormônios. Fiz, e estava tudo normal. Conclusão? Era “só” TPM.

De 2013 pra cá…

De lá pra cá é regra: eu perco 2 dias por mês, às vezes 3. Meus sintomas de TPM eu já reconheço, e são sempre:

-dor de cabeça;

-dor nas costas, uma dor bem pontual, parece uma fincada;

-mau humor, choro e tristeza. Tudo junto e misturado!

-vontade de devorar chocolate, doce ou qualquer coisa que me dá prazer ao comer – tão caricato isso, né? Mas é verdade, parece que chocolate é remédio nesses dias!

-inchaço. A balança aponta 2Kg a mais de uma hora pra outra.

Estou fazendo a lista mentalmente e estou achando até pouco diante do estrago que sinto todo mês. Aliás, hoje estou escrevendo este post como uma espécie de desabafo, porque simplesmente não consigo fazer mais nada além disso hoje. Ah, deixa eu contar um caso engraçado: meu marido ainda não tinha se acostumado muito com essa nova Luciana. Em um sábado à tarde, eu estava à toa em casa, e resolvi arrumar algumas coisas na cozinha, dessas coisas que a gente não arruma tempo para fazer nunca: organizar os temperos, jogar coisas fora, limpar aquelas taças que estão guardadas há muito tempo, enfim. Fui me empolgando e não sei porque, de uma hora pra outra comecei a chorar – imagine a cena!!!! Marido chega na cozinha, me vê limpando coisas e chorando igual uma doida, já ficou preocupado (deve ter pensando que tinha feito alguma coisa, kkkk) e foi me perguntando o que aconteceu! Eu, chorando, sem nem saber o motivo, expliquei que não sabia, mas que estava com vontade de chorar. Ou seja, nem eu nem ele tínhamos a menor noção do que estava acontecendo!

Só sei que dali ele me tirou, eu tomei um banho e nós fomos jantar num restaurante bacana – pelo menos isso me rendeu uma saída. Mas que foi ridículo, isso foi. Pura TPM, só saquei isso depois. Mas hoje em dia meu marido já está avisado que isso agora existe na minha vida…

 

 

 

TPM

O que o médico disse?

Essa foi a parte mais triste. Quando conversei com a ginecologista estava querendo procurar alguma coisa que curasse os novos sintomas que eu tinha. Como pra mim era tudo novo, eu achava que era uma doença e que eu tinha que tomar alguma coisa para melhorar! Se eu não era assim, eu queria continuar não sendo assim, poxa… Depois de conversar, chorar as pitangas e entregar os exames

Sabe o que ela me disse?

Bem-vinda ao meu mundo!

PT, saudações

Simples assim. Essa é a minha nova realidade, aceita que dói menos, Luciana. A partir daí, vocês sabem: eu me mudei, vim pra longe da família, engordei, emagreci, engordei de novo (menos, mas foi…) e a TPM continua aqui, firme e forte. Ainda não achei “remédio“, mas já li a respeito de coisas que podem ajudar… se alguém tiver alguma receitinha eu aceito de coração.

Hello, tem alguém aí? Me conta se você tem um segredo pra me ajudar?