Nana Nenê? Não, obrigada.

Nana Nenê – infelizmente eu li antes de ter minha filha

Nana Nenê livro

Li estes dois livros Nana Nenê quando estava grávida da minha primeira filha, Laura, há 6 anos. Os dois com o mesmo título, porém um é escrito por Eduard Estvil e Sylvia de Béjar e outro por Gary Ezzo e Robert Buckman.

Não me lembro de detalhes sobre cada um nem o que os diferencia, o fato é que eles tem a mesma proposta e métodos parecidíssimos para resolver o problema da insônia do seu filho. O que acontece é que quando estamos grávidas pela 1ª vez queremos fazer tudo certo e buscamos informações em tudo o que acharmos pela frente, e infelizmente escutamos e lemos de tudo, muitas vezes sem saber filtrar por causa da inexperiência, e acabamos dando ouvidos a todo tipo de conselho, inclusive os conselhos que não devemos/precisamos.

Nana Nenê – para eles, o bebê tem insônia!

Uma coisa que aprendi só no 2º filho é que bebês não tem insônia! Bebês não são adultos em miniaturas. Só para resumir o método: segundo os livros, você deve estabelecer uma rotina para o bebê em que ele mame, fique acordado e durma em um intervalo de 3 horas. Ou seja, mama por meia hora, fica acordado por cerca de 1 hora, e dorme por 1 hora e meia. Após este prazo, mesmo que ele esteja dormindo você deve acordá-lo para mamar novamente para recomeçar a rotina. A idéia é que no prazo de no máximo 8 semanas, seu filho irá dormir 8 horas ininterruptas por noite – o que é o sonho de consumo de toda mãe de primeira viagem!

Eu não sei da experiência de quem está lendo meu post agora, mas a minha é que isso foi um grande stress na minha vida, na vida da minha primogênita e do meu marido. Um caos!

Depois que li o livro, fiquei entusiasmada para aplicar o método na minha filha, e eu fiz tudo direitinho. Nem gosto de me lembrar de quando eu acordava a menina para mamar quando ela ainda estava naquele soninho gostoso no meio da tarde, tadinha! E como ela não conseguia entrar nessa rotina maluca, eu comecei a achar que eu tinha problema, ou a minha filha tinha. Que nada era normal, que não fazia sentido um bebê querer dormir tanto à tarde e acordar tantas vezes de madrugada e por aí vai….

O fato é: bebês tem que ter rotina sim, mas não essa que os livros descrevem! Com a minha 2ª filha foi tudo diferente: eu já sabia que eu queria respeitá-la em seus horários de sono e tentar amamentar de 3 em 3 horas, mas se ela estivesse dormindo esse prazo esticaria um pouco mais. E relaxei! E foi muito melhor pra mim e pra ela. Cada bebê é único, cada experiência é uma experiência e não existe uma receita única que irá funcionar para todo mundo. Por isso mesmo não existe um livro de receitas, se existisse isso toda maternidade seria fácil não é?

Na verdade eu poderia contar 1000 histórias sobre como eu tentei fazer esse método funcionar e todas as variáveis da vida real que o livro não considera ao propor uma coisa maluca dessa (hoje eu enxergo que é uma coisa maluca, na época eu achava que fazia sentido porque decididamente eu não sabia o que era ter um bebê), mas o post ficaria longo demais. O intuito aqui é só contar minha posição – caso você tenha chegado até aqui pesquisando sobre o assunto, vale a pena refletir. Hoje eu entendo melhor, mas só olhando para trás é que eu consigo refletir. Uma pena a Luciana de hoje não poder voltar para aconselhar a Luciana de 2006, que era uma aprendiz. Mas respeito essa Luciana, pois vejo minhas filhas hoje e apesar de tudo (e com muita ajuda) eu passei por essa fase e minhas filhas estão aí, saudáveis e felizes da vida.

O fato é: ficar sem dormir é ruim? É, mas faz parte, e passa. Enquanto estamos passando por essa fase achamos difícil, aliás achamos que é a pior coisa do mundo, mas depois que passamos por ela vemos que é uma coisa da vida, e só pareceu um bicho de 7 cabeças porque foi uma grande novidade. No segundo filho nem é novidade mais, aí a gente leva tudo com outra cabeça – ainda bem, né?

Curta muito seu bebê, e lembre-se de que essa fase é normal e passa muito rápido, mesmo que pareça uma eternidade quando estamos nela. E esqueça essa idéia do Nana Nenê, vai por mim. A Luciana de hoje pode até não voltar no tempo para aconselhar a Luciana de 2006, mas pode aconselhar quem está lendo agora…

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...