Consumismo e os blogs

29 de outubro de 2014 10 Por Luciana Vilela

Os blogs podem ajudar a consumir com mais consciência – ou não!

Resolvi fazer este post pois achei que é uma época apropriada. O fim de ano está chegando e com ele a possibilidade de ter um dinheiro a mais, mas com ele também chegam muitos gastos e tentações.

Por isso, antes de receber qualquer dinheiro extra e já comprometê-lo com gastos desnecessários, quero deixar meu recado. Não deixe de ler este post e pensar bem sobre isso. Promete?

 

O Consumismo e os blogs

 

 

Quando comecei a me interessar por blogs o que mais achei interessante foi a possibilidade de ver os produtos funcionarem (ou não) nas pessoas comuns, como eu. Assim, eu poderia deixar de comprar várias coisas que vi em propagandas de revistas e TV e que me prometiam mundos e fundos mas que na realidade não faziam nada.

Pensem comigo: você pode usar os blogs para te ajudar a consumir melhor! Nos blogs você pode ver se o batom que acabou de ser lançado tem a mesma cor do batom que você já tem em casa. Isso também pode acontecer com o esmalte caríssimo que você viu na unha da atriz da novela das 8, que também pode ser idêntico ao que está na farmácia por um preço muito amigo, e aquele creme que promete milagres mas não é tão bom para sua pele, enfim, existem várias situações em que os blogs podem te ajudar a gastar melhor, o que significa muitas vezes não gastar.

Pode parecer estranho ler isso no post de uma blogueira que teoricamente quer vender muito para seus anunciantes. Mas eu acho que ter leitoras que pensam antes de consumir, que questionam e pesquisam, tem muito mais relevância. Eu penso em passar informação de qualidade, por mais que eu não fale como uma profissional de beleza, mas sim como uma consumidora assim como vocês.

Acho normal lermos sobre os produtos (que são muitos, e lindos, interessantes e bem embalados!!!) e termos aquele impulso de querer tudo. Mas não podemos levar a vida só no impulso. Todas nós temos que ter objetivos na nossa vida – estudar, casar, criar filhos, comprar uma casa – que exigem um esforço, pelo menos para a grande maioria da população, que eu acho que é muito bem representada pelas pessoas que lêem o blog, ou seja, as que não tem árvore de dinheiro em casa. Mas se alguém tiver, por favor, manda uma muda pra cá.

Fica o meu recado: pensem antes de comprar. Cuide do dinheiro que você terá no final do ano, reserve o necessário para presentear os seus queridos no Natal, isso faz parte também, mas coloque seus limites para não se endividar. Não comece 2015 com esse peso nas costas! Ainda não entramos em novembro – e mesmo que algumas lojas já estejam com vitrines de Natal! – ainda dá tempo de se planejar.

Promete que vai pensar?