Você quer ser bonita?

17 de setembro de 2014 9 Por Luciana Vilela

#StopTheBeautyMadness

 

Talvez você tenha chegado a este blog em meio a tantas pesquisas que faz diariamente querendo se sentir mais bonita. Que bom! Chegou ao lugar certo, modéstia à parte. Mas tenho uma novidade pra você: talvez as dicas do blog ou os produtos que eu mostro aqui não possam te ajudar. Talvez você já seja bonita. Já pensou nisso?

Outro dia estava pensando – e já comentei aqui algumas vezes – que nós passamos a vida fazendo coisas em nós mesmas que são totalmente diferentes do que o nosso corpo realmente é: tiramos os pelos que nascem pelo corpo, pintamos o cabelo de uma cor diferente da que ele é, pintamos as unhas, esticamos o cabelo ondulado e ondulamos o cabelo liso, queremos ganhar músculos, perder gordura, UFA! Costumo brincar que mulher tem que tirar todo o pelo que nasce pelo corpo e ainda pintar os que ficam!

E dá-lhe dinheiro, e dá-lhe produtos cosméticos e procedimentos estéticos, e até cirúrgicos.

Por mais que pareça estranho dizer isso, nem sempre a intenção é parecer natural, ou seja, cara de quem nasceu assim. Aliás, a maquiagem em si já é algo que representa isso: ninguém tem a boca vermelha ou laranja, ou cílios de boneca, ou olhos esfumados de preto. Não é? E por mais que sua maquiagem seja belíssima e discreta, dá pra ver que você está maquiada. Sorry.

Mas e aí?

Não estou falando isso porque condeno todas essas coisas. HELLOOOOO, eu tenho um blog de beleza há quase 4 anos! Sou dessas, tô nesse meio aí. TOTALMENTE nesse meio, mergulhada até a ponta do cabelo.

Massss tenho que te contar uma coisa: se você se encontrar comigo na rua é muito provável que me veja sem maquiagem, e até com minhas unhas por fazer – acreditem, isso acontece. Sou a imagem avessa das blogueiras,  o oposto de quem vive montada. Mas se você se encontrar comigo na rua, uma coisa é certa: eu não terei vergonha nenhuma de me apresentar. Sou assim, já postei muita foto minha aqui no blog que é bem o que eu sou em casa.

Vocês devem ter visto alguma amiga postando fotos sem maquiagem e sem filtro  porque foi desafiada a fazer isso. Engraçado que eu comentei no facebook que muita gente aceitou a postar sua foto sem maquiagem, desde que a foto também não tivesse foco!!! O que teve gente postando foto sem maquiagem, sem filtro, sem foco, sem iluminação e de longe… aí é que tá o centro do #StopTheBeautyMadness que a maioria das pessoas não entenderam.

O foco é se mostrar sem maquiagem porque se aceita como é, e não supostamente passar vergonha por mostrar se mostrar como é.

Victoria Wild modelo que fez plástica para se parecer com boneca

Victoria WIld

 

Quando vemos um caso extremo como o da modelo Victoria Wild, que gastou 30 mil libras em cirurgias para se parecer com uma boneca inflável – pra você ver!!!! – achamos que é muita loucura, e dá aquele choque, né?

Mas se você parar pra pensar, muita gente começa assim: não sai de casa sem maquiagem pra que ninguém veja aquela manchinha, não sai sem chapinha porque já sofreu demais com o bullying na escola, e por aí vai.

Vaidade é bom. Eu pinto cabelo, faço as unhas, amo um rímel/base/blush/batom, faço as sobrancelhas, me depilo, enfim, gosto de me cuidar, e ainda estimulo todo mundo que está ao meu redor a fazer o mesmo. Na medida certa a vaidade faz bem e é como se estivesse dando um recado a todo mundo: eu me cuido, logo, eu me amo. E vice-versa.

Mas eu não quero fazer parte da loucura que se tornou esse mundo do vale-tudo pela “beleza”, principalmente daquela beleza inatingível, ou que só existe após o photoshop. Eu não vou te desafiar a postar uma foto sem maquiagem. Meu desafio é diferente, e faz quem quiser: olhe-se no espelho e comece a enumerar o que gosta em você. Não fale nada do que costuma falar (minha boca é fina, meu nariz é torto, meu dente é manchado, sou branquela, meu cabelo é fino, meu cabelo é grosso, aposto que é mais ou menos assim) mas veja tudo de um jeito diferente. Não é fácil, porque assim como ao começar uma dieta nós precisamos começar do zero nossa relação com a comida, para assimilarmos nossas qualidades também temos que ter uma relação diferente com o espelho. Mas sugiro veementemente que você comece isso logo.

Aquela modelo da foto te assustou? Mas ela começou assim: encontrou seus pequenos defeitos e começou a valorizá-los tanto que eles cresceram, e a tornaram um monstro: primeiro na cabeça dela, e depois, na vida real.

 

Prometem que vão pensar no assunto?