Lou Lou – Cacharel

Lou Lou – Cacharel

29 de junho de 2013 15 Por Luciana Vilela

Resenha do Lou Lou, um perfume especial pra mim

Hoje vocês me dão licença?

O perfume de hoje, que não é novidade pra ninguém, não é para mostrar ou resenhar, mas para comemorar…

Tô comemorando aniversário: 12 anos de casamento!

Lou Lou Cacharel Resenha

E o perfume, o que tem a ver com isso? (você deve estar perguntando)

Esse perfume já acabou há anos, mas tá aqui guardadinho até hoje, virou relíquia, uma espécie de memorial. Em 99, quando eu estava atolada no meu último semestre de faculdade de arquitetura, fazendo o projeto final e quase surtando de tanto trabalho e ansiedade, eu pedi a minha família que não fizesse nada no meu aniversário, porque eu estava exausta e desanimada. Mas eu pedi um bolo, e falei que só queria que chamassem o Alexandre, porque eu queria só bater papo com o meu amigo.

Pois é, ele era o meu melhor amigo e a gente conversava bastante – e até brigava, fazia parte. E naquele aniversário ele me deu este perfume. Eu fiquei muito surpresa, pois era caro, não era o tipo de coisa que ele fazia…

Não vou contar tudo. Só pra resumir: naquele ano, em setembro, começamos a namorar e em junho de 2001 nos casamos. E por isso, este perfume, para mim, tem cheiro de romance.

Aliás, Cacharel foi a marca da minha primeira década de contatos com perfumes importados, até então os melhores que eu conhecia. Até hoje eu tenho alguma coisa da marca – descobri uma fragrância deliciosa recentemente, depois quero mostrar aqui.

A fixação e projeção do Lou Lou são muito fortes, deve ser usado com parcimônia, senão fica enjoativo. A meu ver isso se deve a forte presença do sândalo em sua base, que é o que fica em minha memória quando me lembro do perfume que fica por horas em minha pele (e põe horas nisso, fica por muito tempo mesmo!).

Li algumas descrições em que ele seria classificado como floral frutal (bergamota, damasco, baunilha, almíscar e sândalo) mas definitivamente não concordo. Concordo com a classificação de Oriental Floral (aldeídico).

Um perfume doce (mas na medida), quente, que não consigo usar de dia, sob sol ou calor, intenso, retrô (na essência e no frasco), e como já disse, a cara do romance. Se bem que essa última característica deve ser relevada, devido a minha história…

Ainda é encontrado em lojas online e perfumarias. Mas, sinceramente? Não quero tê-lo de novo, novo. Algumas coisas são para serem vividas só uma vez…

Concordam?