Eucerin Kids Protetor Solar para crianças

Eucerin Kids – o protetor FPS60 que as meninas usaram no verão!

Neste verão aproveitei para conhecer o protetor solar para crianças da Eucerin, o Eucerin Kids Sun Lotion FPS60. As meninas usaram durante as férias e agora vou contar um pouco da experiência com o produto, especialmente na Isabela, que tem dermatite atópica e sempre me perguntam quais produtos ela usa.

Eucerin Kids protetor solar para crianças

 


Eucerin Kids – apresentação, embalagem e fórmula

O Protetor infantil da Eucerin vem com 150ml nesta embalagem plástica com tampa Flip-Top – aqui vou destacar a qualidade, já que esse tipo de tampa é muito fácil de quebrar, principalmente porque muitas marcas não se importam com a qualidade e usam um plástico fino e frágil. Essa aqui sobreviveu a um uso bem intenso, vários “abre-fecha” e aguentou firme até o final.

Eucerin Kids Protetor Solar para crianças

Embora esteja na embalagem que ele é uma loção, ele é um pouco mais consistente do que uma loção, mas espalha muito fácil. E quando seca fica MUITO seco, sem resquício, acho que por isso as meninas gostaram tanto. Diferente de mim, que não me importo em usar algo mais “lambrecado” na praia, elas odeiam que fiquem com algo grudando no corpo.

Eucerin Kids Protetor Solar para crianças

Eucerin Kids e a dermatite atópica da Isabela

Aproveitando que essa semana eu fiz um post falando sobre filtro físico X Filtro Químico, olhando a fórmula do Eucerin Kids eu encontrei ingredientes dos dois tipos: o Dióxido de Titânio (físico, age refletindo a radiação) e o Octocrylene (químico, este em maior quantidade). Eu sempre li que o ideal é que os protetores infantis sejam físicos, mas 100% físico é difícil achar, o mais comum é este tipo que associa os dois… De qualquer forma, como estou sempre buscando alternativas que sirvam para a pele da Isabela, que tem dermatite atópica, eu fiquei satisfeita com esse, pois a pele dela não reclamou. Preciso destacar uma coisa: eu estou contando isso mas prefiro que cada pessoa tenha a indicação do seu próprio médico, pois eu não tive indicação do dermatologista para a Isabela usar esse produto. Usei e deu certo, mas poderia não dar e eu não posso dizer por causa dessa experiência que ele seja indicado para quem tem D.A., só quero deixar a dica para quem se interessar levar esse nome para o dermatologista.

Onde comprar e preço

Eucerin Kids Sun Lotion é encontrado em farmácias onde se vende Eucerin, tanto lojas físicas quanto online. Em uma consulta rápida pela internet eu encontrei uma variação entre R$60-83 reais, então vale a pena pesquisar!


 

*Veja o que a Eucerin diz sobre o protetor solar infantil Eucerin Kids Sun Lotion:

Proteção Solar na infância: cuidado essencial em qualquer estação

 

Proteger a pele dos danos causados pelos raios UV durante os primeiros anos de vida é fundamental para a saúde

Brincar ao ar livre é um dos grandes prazeres da infância por isso a proteção solar deve ser um cuidado recorrente com as crianças, que tem a pele mais sensível do que a de um adulto. O sol, mesmo entre nuvens ou em dias nublados, continua agindo sob a pele, trazendo alguns benefícios como o bem-estar mental e a síntese de vitamina D, essencial para as estruturas ósseas das crianças, mas também oferece malefícios que podem ocorrer com uma exposição ao sol de forma inadequada.

A pele das crianças é diferente em vários aspectos. A cútis de um bebê, por exemplo, tem um-quinto de espessura da pele de um adulto, apesar do mesmo número de camadas. Isso acontece, pois, cada camada é consideravelmente mais fina, o que a faz mais delicada e sensível. Aos quatro anos, a pele se torna um pouco mais madura, porém, ainda é mais fina e tem menos pigmentação que a pele adulta. Somente em torno dos 12 anos de idade a estrutura e as funções da pele da criança já correspondem às do adulto. Informações da Sociedade Brasileira de Pediatria explicam que isso ocorre porque o estrato córneo, camada mais externa da epiderme que nos protege ativamente contra as influências ambientais e retém a umidade, é mais fina e suas células menos comprimidas. Consequentemente, sua função de barreira torna-se menos eficaz e as substâncias são absorvidas mais rapidamente pelas camadas mais profundas. Além disso, a melanina, substância que confere cor à pele, está presente em menor grau nas crianças, o que faz com que tenham uma maior sensibilidade aos raios UV que, por sua vez, tem efeito cumulativo durante os nossos anos de vida. “É importante lembrar que a prevenção, por meio do uso de filtro solar combinada com bons hábitos, deve ser iniciada ainda na infância pois grande parte do dano solar na pele é acumulado até os 20 anos”, conta Orietta Balbontin, gerente de Marketing de Eucerin no Brasil.

Por essas razões é fundamental que a pele infantil seja devidamente protegida também no inverno, principalmente entre 10h e 16h, quando a incidência dos raios UV é mais intensa. Para garantir a proteção, a reaplicação do filtro deve acontecer a cada duas horas, depois de banhos e em caso de muito suor. Vale lembrar ainda que é importante proteger a pele das crianças com produtos desenvolvidos especialmente para elas e que atendam às necessidades específicas delas, consultando sempre um dermatologista.

Eucerin Sun Kids Lotion possui muito alta proteção UVA e UVB, que protege a pele das crianças contra as queimaduras solares, reduzindo o risco de danos induzidos pelo sol. Fortalece o sistema de proteção natural da pele e os mecanismos de defesa do DNA, prevenindo manchas causadas pela exposição solar. Sua formulação, especialmente desenvolvida para crianças, não contém parabenos, corantes ou perfumes. Tem textura de fácil aplicação e é muito resistente à água. Eucerin Sun Kids Lotion é comercializado em farmácias, em embalagem de 150 ml e o preço sugerido é R$ 70,00.

 

Maternidade: quando colocar os filhos na escola?

Minha experiência: quando coloquei minhas filhas na escola

Hoje em dia uma coisa que escuto muito quando converso com as amigas que tem filhos pequenos é o dilema de matricular ou não as crianças pequenas na escola. Vocês sabem que eu não sou pedagoga, nem professora, sou “só” mãe, mas mesmo assim acho que contar minha experiência pode ser válida pra ajudar alguém. Até porque eu acho difícil ter um certo e errado nessa história, e minha experiência é a prova disso!

Quando colocar seu filho na escola

Laura e Isabela no primeiro ano da escola <3

A influência dos nossos pais

Na minha época era comum as crianças começarem a vida escolar aos 4 ou 5 anos. Antes era mais comum o perfil da família em que só o pai trabalhava e a mãe podia cuidar dos filhos em casa, ou mesmo que os pais trabalhassem era “menos difícil” ter a figura da funcionária doméstica que tinha essa função. Hoje isso é cada vez menos comum, e as crianças estão começando a vida escolar mais cedo, muitas vezes ainda bebês.

O resultado disso é a grande dificuldade em aceitarmos essa realidade, seja pela nossa experiência ou pela influência da geração dos nossos pais, cuja maioria desaprova essa modernidade. Ouvi muitas vezes coisas do tipo:

-“Mãe que coloca filho pequeno na escola é porque quer ficar livre deles”

-“Lugar de filhos pequenos é com a mãe”

-“Crianças que vão cedo a escola ficam traumatizadas depois”

… e muitas outras “frases de incentivo” parecidas com essas.

Quando coloquei a primeira filha na escola…

Eu tinha meu escritório de arquitetura em casa, então mesmo voltando a trabalhar cedo – Laura tinha 3 meses – eu sempre pude acompanhar tudo sem sair de casa. Eu fazia o que podia, pois tinha meu trabalho, mas sempre contei com a super ajuda da família, aka mãe e irmã. A Laura foi para a escola em janeiro de 2009, com 2 anos e 3 meses, e mesmo assim escutei muita gente dando opinião de que foi cedo demais.

Ela ainda era filha única, mas sempre foi muito sociável, sempre fez amizades facilmente. No shopping ou na sorveteria ela sempre se apresentava para a primeira criança que via na frente: “oi, eu sou a Laura, qual seu nome? Vamos brincar?” E eu morria de pena de ver que ela sentia tanta falta de companhias.

Uma coisa é certa: eu a coloquei na escola aos 2 anos e 3 meses muito mais por causa dela do que por minha causa.

Como foi o primeiro dia de aula?

Eu separei toda a primeira semana de aula para ficar na escola no período da tarde, pois é normal que os pais acompanhem a adaptação dos novatos em algumas escolas. Mas no primeiro dia de aula, a Laura me deu um tchau de costas e foi pra sala.

OI????? Como assim? Eu posso voltar pra casa? A diretora até me disse que eu poderia ficar na escola, mas que pela reação da Laura eu poderia ir pra casa tranquila porque tudo estava bem. E desde o primeiro dia de aula até hoje eu penso que foi a melhor coisa que eu fiz pra ela, pois ela sempre foi feliz da vida pra escola.

Quando a segunda filha foi pra escola?

Como eu já disse no outro post sobre a gravidez, com o segundo a gente já não tem mais tanto medo. É mais expectativa do que medo.

A Isabela foi um bebê super tranquilo e saudável, mas ao contrário da irmã, que sempre foi uma maritaca, ela não falava nada. Laura falava de tudo antes mesmo de completar 1 ano, e a Isabela já tinha 1 ano e 7 meses e não falava nem “papá” e “mamá”, nada! Depois de ir ao pediatra e ao fonoaudiólogo fiquei tranquila com os diagnósticos e os conselhos: ela era normal e saudável, só precisava de estímulos específicos, coisa que ela conseguiria na escola. E ela foi matriculada em agosto de 2011, com 1 ano e 9 meses.

Confesso que até eu achei cedo demais, mas estava tranquila por causa de todos os fatores:

-os especialistas aprovaram

-eu já tinha um bom relacionamento com a escola (a mesma onde a Laura estava)

-meu marido e eu concordamos, então não interessava mais o que os outros pensavam

O resultado? A Isabela aprendeu falar tão bem que até hoje ela é a maritaca da família. Até hoje eu olho pra essa faladeirinha e brinco: ” e pensar que eu tinha medo de que ela não iria aprender a falar!”

Tem conselho? Tenho sim senhora!

Se fosse pra eu enumerar tudo que eu penso sobre quando colocar seu filho na escola, seria isso:

-Como é a rotina da criança? Ela tem amiguinhos? Ela tem lugar e hora pra brincar? Ela sente falta de conviver com outras crianças? As respostas para estas perguntas podem indicar se a escola será boa para ela.

-Por mais que você a ame, tem coisas que você não consegue fazer por ela.

-Por mais que os outros pensem e até falem isso, você não é uma péssima mãe porque decidiu matricular seu filho na escola. E nem que ser livrar dele!

-As boas escolas tem atividades excelentes para desenvolver a criança em tudo. Se você já conheceu a escola e confia nos profissionais que estão lá, saiba que seu filho estará muito feliz lá dentro.

-Filhos são uma bênção, mas não há nada de errado em você ter uma vida enquanto eles estão na escola. Pensar nisso também não faz de você a pior mãe do mundo – mas prepare-se para escutar indiretas do tipo.

-Aliás, prepare-se para escutar de tudo. Mas se os pais da criança estão de acordo as opiniões dos outros não terão importância nenhuma. Não fecho os ouvidos para a experiência dos mais velhos, mas depois de um tempo a gente aprende a confiar no que já aprendeu com eles a vida toda.

-Esteja segura da sua decisão e não demonstre pra todo mundo (inclusive pra criança) que você não sabe o que fazer. Isso evita muita “ajuda” disfarçada de “se meter na sua vida”, e seu filho, ao te ver segura, vai se sentir seguro também.

Eu conheço muita gente que nessa fase fica cheia de culpas e incertezas. Não tenho uma resposta certa pra dar a ninguém, nem pra mim, mas sou dessas que acham que no fim tudo vai dar certo pra quem ama e preocupa sempre em acertar.

Veja também: A segunda gravidez é igual a primeira?

 

 

A segunda gravidez é igual a primeira?

Gravidez: teve a primeira e pensa na segunda?

Como mencionei no Facebook do blog, quero falar mais sobre maternidade no blog, afinal de contas se o blog reflete as minhas experiências, por que não falar sobre a maior delas em toda a minha vida, a maternidade? Hoje quero contar pra vocês um pouco do que foram as duas gestações e quem sabe posso ajudar quem esteja nessa situação a pensar um pouco nisso?

Aliás, depois que você finalmente tem o primeiro já deve ter percebido que as cobranças não param. “E aí, quando o fulaninho vai ter um irmão?” Ai,ai… as pessoas… são tão legais, né? 😛

1ª gravidez – um breve histórico

Minha primeira gravidez foi super planejada, eu queria muito e fiquei feliz da vida quando fiz o teste e deu positivo. Senti pouco enjoo, na verdade nunca cheguei a ter náuseas e vômitos, eu só fiquei sem vontade de comer várias coisas, e no primeiro mês cheguei a perder 3 kg.

Só tenho experiências positivas da primeira gravidez: tirando o sono que eu senti nos 3/4 primeiros meses, no restante eu fiquei super disposta, fiz uma reforma na casa para fazer o quarto da Laura, trabalhei MUITO durante toda a gestação. Aliás, entreguei uma obra uma semana antes do parto!

A Laura nasceu 13 dias antes de completar as 38 semanas, que era a data prevista, pois minha bolsa estourou durante a madrugada. No final eu havia ganhado 10kg (na verdade, se contar os 3 que eu perdi então foram 13kg, mas 10kg a mais do que eu pesava quando engravidei), não tive estrias, e o parto (cesárea)e a recuperação foram tranquilos.

A segunda gravidez é igual a primeira?

Laura – 6 meses

 

2ª gravidez – foi igual?

Quando a Laura tinha 2 anos e 7 meses eu descobri que estava grávida de novo. Descobri a gravidez em maio, em um período de muito trabalho. Nem sei como consegui ficar no computador e produzir, pois fiquei muito tempo “navegando em um barquinho“. Já experimentaram? Eu sou dessas que enjoam em carro e em avião. Imaginem em barco! Eu passei 3 meses tontinha, mareada, como se estivesse em alto mar.

Também foi uma gravidez tranquila, mas totalmente diferente: mesmo sem engordar muito durante a gravidez, minha glicose subiu muito e a médica chegou a pensar que eu poderia ter desenvolvido diabetes gestacional. Tive que controlar a alimentação, e eu tive muita dificuldade de terminar a gravidez. Graças a Deus tudo voltou ao normal depois do parto.

No último trimestre eu já não fazia as compras de casa. Meu prédio não tinha elevador e minha irmã e minha mãe se revezavam para levar minhas compras de supermercado, e foi muito difícil controlar o ciúmes da Laura, que queria colo e nem sempre eu podia dar…e as estrias que não vieram na primeira barriga, apareceram na segunda 😛

A Isabela iria completar 38 semanas no dia 30 de dezembro, mas na metade de novembro eu comecei a sentir muitas dores, e em uma delas eu achei que ela iria nascer ali mesmo, no meio da cozinha!!! Fui à médica no dia seguinte e ela me colocou de castigo. Em casa, deitada, sem ir a lugar nenhum até o bebê nascer, e ainda faltava um mês e meio… Mas não consegui segurar muito:a bolsa rompeu de novo e a Isabela nasceu no dia 26 de novembro, ou seja, com 8 meses. Ela ficou na UTI devido a imaturidade do pulmãozinho, o que foi uma experiência terrível, pois saí da maternidade deixando meu bebê no hospital. Frustração define…

A segunda gravidez é igual a primeira?

Entrando no bloco cirúrgico para ter a Isabela

O melhor da segunda gravidez é não se assustar com mais nada, pois mesmo sendo uma experiência diferente, já é um terreno conhecido.

A minha experiência X a experiência dos outros

Ô coisa chata e difícil é você ser inexperiente e ter que ouvir todo mundo falando uma coisa diferente. Não que eu esteja desprezando a experiência das outras pessoas, mas muitas vezes elas não respeitam a sua vontade de passar por aquele momento do seu jeito, com as suas escolhas. Durante uma gravidez se escuta de tudo um pouco, das dicas mais simples e proveitosas até as mais absurdas e ultrapassadas – sim, nem toda dica da vovó serve pra você – e haja paciência para peneirar todas elas.

Hoje em dia quando eu encontro alguma amiga grávida eu sei muito bem o que falar e o que não falar. Primeiro: só dou minha opinião a respeito de alguma coisa importante (parto, amamentação, etc) se ela pedir. Segundo: só falo coisas agradáveis como: fique tranquila, vai dar tudo certo, não é bicho de 7 cabeças, não fique ansiosa, coisas assim. E não estou mentindo nem enganando, eu acho isso mesmo.

A segunda gravidez é igual a primeira?

Isabela na UTI neonatal

Se você já teve o primeiro e tem dúvidas se quer o segundo…

Não quero convencer ninguém, pois cada um sabe da sua vida, mas algumas coisas eu posso dividir com vocês:

-a Laura me deu muito trabalho na amamentação e na questão do sono. Eu achei que não daria conta de um segundo filho porque passaria por aquilo tudo de novo…mas para minha surpresa não foi.

-uma gravidez não será necessariamente igual a outra, nem o filho será igual, nem a experiência será a mesma. Nada na maternidade segue um roteiro.

-se eu me preocupava em como sustentar um filho, imagine dois. Mas hoje eu vejo que nós simplesmente mudamos o foco e as prioridades, e as coisas acontecem. Ninguém vai sair parindo um monte de filho achando que no final tudo dá certo, mas também acho que deixar de ter somente por causa da questão financeira pode ser frustrante. Se a pessoa realmente quer, ela vai lutar pra isso. Isso serve pra casamento, trabalho, tudo!

-quando você tem o segundo filho você já está mais esperta e não comete os mesmos erros. Pode até cometer novos erros, mas não os mesmos! 😀 😀 😀

Enfim, isso é uma decisão das mais importantes na vida do casal (isso quando não vem de surpresa!!!) mas não é questão de ninguém influenciar ninguém. O máximo que podemos fazer é deixar nossa experiência, e a que eu tenho é muito positiva, pois acho muito legal essa relação de irmãos – eu tive e queria que a minha filha tivesse também.

Eu conheço muitas mamães que tiveram seus bebês há pouco tempo e devem estar no meio dessa indecisão… estou certa?

Conta aí!!!

 

 

 

 

 

Tendas de tecido na decoração

Vejam essas tendas de tecido e me falem se não querem voltar a brincar de cabaninha!

Quem nunca esticou lençol por cima das cadeiras da sala de jantar e ficou lá embaixo não teve infância. Brincar de cabaninha é a mais deliciosa lembrança que eu tenho da minha infância, e só hoje que eu sou mãe é que eu penso no trabalho que eu dava pra minha mãe de ter que lavar e dobrar tanto lençol depois das minhas artes. E ela nunca reclamou… obrigada, mãe! <3

Por isso eu quase tive um treco na frente do computador quando vi essa moda: montar tendas dentro ou fora de casa, para os pequenos e os grandes relaxarem, brincarem, lerem, enfim, curtir a vida sem stress.

Vejam as imagens e me falem se não dá vontade de pular lá dentro???

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

 

Decoração com tendas de tecido

Ainda encontrei vários outros modelos na Etsy.

E não é difícil executar, só precisa de um cantinho… eu amei essa ideia, gente!!! E vocês?

Vontade de tirar uma sonequinha lá dentro agora mesmo… :)

 

 

 

Onde estão os pais?

Hoje o post é um desabafo de mãe. Se servir de alerta para pelo menos 1 pessoa já fico bem feliz…

Nas últimas semanas tem acontecido algumas coisas aqui em casa. Refletiu até nas minhas postagens aqui no blog, pois não andei tendo tempo nem cabeça direito…

Minha filha mais velha tem 7 anos, e tem sido bombardeada na escola: os colegas, da mesma idade, ensinaram todos os palavrões que existem no mundo, e contaram tudo sobre sexo do pior jeito possível para uma menina de 7 anos que ainda não tinha nenhum tipo de despertamento para o assunto.

Uma vantagem eu tenho: minha filha me conta tudo e pergunta tudo, e as coisas que andei escutando nas últimas semanas foram de arrepiar. Eu até já estava preparada para falar sobre o assunto com ela quando fosse necessário – e até já tinha respondido uma ou outra curiosidade normal da idade – mas o nível, aliás, o baixíssimo nível das coisas que ela andou ouvindo me impossibilitou totalmente de fazer as coisas do meu jeito.

Eu não tenho nem coragem de mencionar aqui, mas para vocês terem uma ideia pensem num conteúdo de filme pornográfico, ou desses programas de TV de baixo nível que tem todo tipo de palavrão e insinuações pornográficas que provavelmente no seu tempo de criança, principalmente com 7 anos, seus pais jamais deixaram que você visse (se você é do meu tempo, pois meus pais não deixavam naquela época).

pare o mundo que eu quero descer

 

Claro que eu já fui na escola, tive reunião com a diretora, professora, conversei com alguns pais, enfim, parti para a ação e fiz o que estava ao meu alcance, fora da minha casa.  E a escola também está fazendo sua parte, pois todos concordaram comigo que não é normal ouvir de crianças de 7 anos o tipo de baixaria que estamos ouvindo em casa. Mas minha ação e a ação da escola tem um alcance limitado, pois chega uma hora em que dependemos de outra ação: a dos outros pais. Toda essa confusão começou por causa de 2 crianças. Duas crianças conseguem inflamar uma sala inteira, ainda mais com um assunto tão cheio de novidades quanto esse, vocês podem imaginar. Descobrimos que elas tem tido acesso a programas de TV totalmente inapropriados para a idade, e tem acessado todo tipo de sites na internet. Imaginem o tipo de coisa que elas tem visto…

E aí, os pais que estão atentos à vida do filho, que controlam o que eles vêem na TV, que controlam o uso da internet, que ensinam, investem seu tempo, sofrem as consequências dos pais que não fazem nada disso.

 

quanto custa seu tempo

 

Não estou julgando, cada um sabe de suas necessidades e os motivos que fazem com que fiquem fora de casa o dia todo. Ultimamente eu tenho tido o privilégio de acompanhar melhor as minhas filhas e sei que esta não é a realidade da maioria das mulheres – mesmo que muitas delas não por necessidade, mas por escolha – mas alguma coisa precisa ser feita. Crianças não podem ser entregues à TV, internet, facebook, e a educação não pode ser delegada à escola. O papel dos pais é o maior e mais importante, e tem sido entregue a todas essas coisas e o resultado está aí. 

 

Há alguns meses, esta mesma filha chegou em casa me pedindo para ter um perfil no Facebook. Eu expliquei que não podia, que isso era coisa pra adultos. Ela contestou, dizendo que os colegas dela tinham. Mas como? Com 7 anos?

Eu expliquei que o site tem uma regra que diz que só pode se inscrever com 13 anos, no mínimo. No outro dia, ela voltou pra casa me contando que não tem problema, eu poderia inscrevê-la no Facebook sim, que os colegas dela mentiram a idade, e muitos deles tiveram seus perfis feitos pelos próprios pais.

Agora eu pergunto: você iria gostar que seu filho mentisse a você, dizendo que está na casa de um amigo estudando mas na verdade ele foi a uma festa que você havia proibido? Você quer confiar no seu filho, sabendo que pode confiar nas coisas que ele vai te contar no futuro?

Se você quer que seu filho seja sincero com você, como pode ensiná-lo que pode mentir a idade para obter um perfil no Facebook? Ah, isso é muito pouco, isso não tem importância? Comece por aí, nas pequenas coisas, e quando as grandes vierem ele não irá reconhecer a diferença entre uma coisa e outra.

As crianças não tem culpa de nada, pelo contrário, tem sido as vítimas. Os pais, cheios de boas intenções, querem dar o melhor, proporcionar as melhores viagens, dar os melhores brinquedos, pagar pelas melhores roupas, mas esquecem de que para usufruir de tudo isso precisam construir primeiro o menino, que é o pai do Homem, como disse Machado de Assis.

 

Quanto a mim, depois do susto, parti para a ação. No meu caso, que sou cristã, parti para a oração e ação: eu tenho certeza de que os princípios que passo para as minhas filhas não serão sufocados por tudo que elas aprenderem no mundo que vão enfrentar. Eu creio nisso pois foi esta a minha experiência, eu cresci vendo muitas coisas mas não participei delas. Mas sinto muito, muitíssimo, pelas crianças que não terão seus pais nessa empreitada. Tenho conversado muito com a Laura, tenho visto como ela tem reagido – algumas vezes me sinto orgulhosa, em outras, fracassada, mas essa montanha russa faz parte da arte de educar, já percebi – mas estou certa de que amor nunca é demais, e o tempo investido na minha filha terá um retorno no tempo certo.

Eu poderia estender este post, mas vou parar por aqui, precisava fazer este desabafo que também é um alerta. Aliás, estou enxergando toda essa situação como um alerta também, pois hoje certamente estou ainda mais atenta à minha filha do que estava há um mês, certamente. O estrago que já está feito, está feito, eu gostaria de ter tido o direito de ensinar esse assunto para ela do meu jeito, mas eu ainda tenho tempo e principalmente disposição para resolver essa situação da melhor maneira daqui pra frente. Eu só desejo, do fundo do coração, que as outras crianças também tenham esse privilégio de ter alguém por perto nesses momentos em que elas mais precisam…

 

 

 

 

 

Cuide do seu nariz!

Eu sei que é muito bom que cada um cuide da sua vida, mas não é disso que eu quero falar. Mas vale o toque!!! hahahaha

É que uma vez eu mostrei em um post como eu tenho mania de usar um spray nasal e algumas pessoas confundiram: eu uso e recomendo é o spray salino, ou o soro fisiológico. Não se trata de nenhum remédio ou descongestionante, ok? Jamais faria uso contínuo desse tipo de coisa e muito menos recomendaria aqui no blog. Aliás, só use descongestionantes se seu médico mandar, ok?
Depois de várias visitas a otorrinos e pediatras das meninas eu posso postar sem medo aqui no blog, pois é altamente recomendado e não há efeito colateral nenhum, pelo contrário, só traz benefícios: use sempre um soro fisiológico para umedecer as mucosas do nariz.

Daqui a pouco o inverno começa a ficar seco e o seu nariz pode começar a sofrer. Por isso comece desde já:
Receita para fazer em casa:
-1 litro de água
-1 colher de sobremesa de sal
  • Misture o sal na água fervida e claro, espere esfriar. Ligeiramente morno é até bom para aliviar o nariz quando está entupido.
  • Use conta-gotas ou seringa, sempre direcionando o líquido para as paredes do nariz, nunca para o centro, ok?
Mas se você passa o dia todo fora e não tem como levar essas coisas com você, existem alguns produtos no mercado que tem a embalagem mais fácil de manusear. São bem mais apropriados para você levar a todo lugar:
Os soros fisiológicos e as águas marinhas purificadas são indicados para fazer limpeza do nariz e manter a umidade da mucosa. Acho muito bons os aplicadores, que inclusive podem ser tirados para lavar. O Naso Clean eu uso bastante e já mostrei aqui.
Muitas crises de rinite e sinusite podem ser evitadas fazendo uso desses produtos, use sempre que se lembrar e de preferência, antes de precisar deles. Esse é o nosso maior problema, em vez de prevenir sempre procuramos essas coisas para remediar!
Agora me conta: como vai seu nariz?

Fio dental para crianças: Dentek

Conheça o fio dental para crianças da Dentek

E daí que você acha que já conhece todas as novidades até que chega uma coisa em suas mãos que você nem sabia que existia. Por exemplo, fio dental para crianças!
Minhas filhas não usavam fio dental, até porque nunca houve recomendação da dentista. Talvez por terem aqueles dentes de leite ainda bem separadinhos, que não retém restos de alimentos ainda (será?). Aí minha cunhada Luciana me mostrou e me deu um pacotinho desses da Dentek, que ela comprou nos EUA:

Fio dental para crianças: Dentek

São 48 pecinhas de plástico colorido que são desenhadas para as mãos dos pequenos. Cada um tem um fio dental com flúor bem esticadinho na ponta, e assim fica mais fácil, já que a criança pode pegar com uma só mão.
Fio dental para crianças: Dentek

Minha filha fazendo participação especial no blog :)

O que eu acho bem interessante nisso é a questão da formação do hábito, pois isso fazendo parte da rotina da criança desde cedo, assim como várias outras coisas na vida, é mais fácil formar o hábito que será pra vida toda. E é muito fácil fazer a criança gostar de usar esse fio dental pois ele tem carinha de brinquedo. Quem tem criança sabe como são essas coisas!

Interessante é que depois de usar adivinhem se eles vão pro lixo? Que nada. Viram personagens, ferramentas de jardinagem, utensílio de cozinha, raquete de tênis da Barbie….. e o que mais a imaginação mandar, kkkkkkkkkkkk!

Isso pra mim foi novidade. Vocês já conheciam?
(no Brasil eu só vi à venda no Mercado Livre)

Crianças desenham…adultos executam!

Encontrei duas coisas simplesmente APAIXONANTES!!!

Vejam comigo se eu não tenho razão:

Dois artistas ingleses usaram desenhos infantis para executar peças de mobiliários. Fantástico! Crianças usam cores como ninguém, sabem expressar o que elas querem com mais facilidade e o resultado foi pura alegria.

Por que nunca pensamos nisso antes, gente, um aquário numa cadeira de balanço! :-)

Agora, a fofura do ano:

perdi o fôlego quando vi o trabalho de uma artista na escola das minhas filhas. Ela copia fielmente o desenho das crianças e faz BONECAS perfeitas.

Fala se você já viu coisa mais linda???????

Muito amor, né?

Crianças lançando moda!

Essas crianças são fotografadas desde que nasceram, e toda vez que aparecem viram notícia. Vocês sabem que eu gosto de acompanhar notícias desse povo famoso e claro que copio uma coisa ou outra de vez em quando…rs

Selecionei algumas reportagens em que os filhos famosos dos famosos estão estilosos e mostrando uma ou outra peça que dá vontade de comprar pros nossos filhos, sobrinhos, afilhados, etc (quem não tem uma criança amada pra presentear?), então fica como sugestão!

Olha a Ella Rae, filha do Mark Walhberg, com essa bota de Joaninha da Western Chief, uma marca muito fofa cheia de coisa linda pra criança! Além de bota eles tem capa de chuva, sombrinhas, vários acessórios divertidos assim. Se quiserem depois eu mostro aqui, mas a página do Facebook da marca está aqui.

Encontrei uma versão genérica (acredito que seja…) no AliExpress também.

Outra que usa – ou usava – é a Suri:

Aliás, não deve ter nada que essa menina não tenha usado na vida!

Voltando a Ella Rae, que gosta de passear com o pai, olha que menina estilosa! Me chamou a atenção o fato de ela estar com a sacola da American Girl Doll, uma loja de bonecas famosérrima nos EUA que tem as bonecas mais lindas do mundo. Paixão da minha sobrinha, e pelo visto da Ella também, que gosta de frequentar o chá da loja (a loja tem de tudo, depois quero mostrar aqui também, de enlouquecer).
Pra quem quiser bisbilhotar o site, o link está aqui.

Doideira essa cadeirinha do Flynn, filho do Orlando Bloom. Se bem que o melhor acessório do menino não é a cadeira, e sim, o pai. Passa pra próxima!
Honor é a filha de Jessica Alba, e está com o uniforme das minhas meninas: fantasia de princesa. Comprei uma igual a essa da Bela no Amazon, mas posso falar? As que eu comprei no Brasil são melhores. No site da Disney também tem algumas opções.
Mas vale pesquisar em lojas de festas e lojas de brinquedos, dá pra encontrar opções daqui também.

As mochilinhas e lancheiras Skip Zoo já são famosas no Brasil também, eu vejo muito por aqui. Elas são de tecido, com a parte interna forrada, térmica. Já mostrei as minhas aqui.
Pausa para o jabá próprio: ainda tenho algumas a venda, veja aqui.

A filha da Sarah Michelle Gellar é estilosa e já sabe alguns segredos: abusa dos acessórios! Vê se pode!!
Encontrei várias fotos da menina usando óculos e bolsas, gente… Interessante é que ela usa bastante essa bolsa com essa estampa camuflada e varia os óculos. Sabe das coisas, adorei!
Eu acho uma graça ver essas fotos pois identifico totalmente o jeito de ser das meninas, são realmente todas iguais, em todo lugar. Adoram uma fantasia, um enfeite, são mini-mulheres. Adoro aproveitar essa fase, pena que um dia acaba!

Mavala Stop – Parte 2! Como minha filha parou de chupar dedo

Se você conhece alguém passando pela saga de tentar fazer o filho pequeno parar de chupar dedo, mostre a ele este post!

Esse produto já apareceu aqui no blog no post da Ana Cristina, que nos contou sua experiência super positiva de ter parado de roer as unhas após algumas semanas. Não viu?  Mavala Stop

Quando a Ana me contou a respeito dele eu já sabia da fama, mas nunca havia prestado atenção num detalhe: além de ajudar as pessoas que querem abandonar o hábito de roer unhas, ele pode ser usado em crianças a partir de 3 anos, e ajuda a tirar o hábito de chupar dedo.
Foi a minha salvação!
Resenha Mavala Stop Como fazer criança parar de chupar dedo
Minha filha mais velha não chupou bico nem dedo, então nunca havia enfrentado esse problema. A minha caçula, hoje com 3 anos e 9 meses, não pegou bico de jeito nenhum, mas em compensação, desde os 6 meses ela começou a colocar o dedo na boca e não parou mais. Eu já não sabia o que fazer! Ela fez uma visita ao dentista aos 2 anos e meio, que me deu algumas dicas e disse que ainda estava em tempo de tirar esse hábito sem prejudicar a arcada dentária. Nos últimos tempos eu estava começando a ficar preocupadíssima com isso, e em junho ela foi ao dentista de novo, que me mostrou como o céu da boca já estava ficando alto, e isso era um mau sinal… Ela me disse pra passar alguma coisa amarga nas unhas… e logo depois a Ana me falou a respeito do Mavala Stop. E eu: como eu não pensei nisso antes????
Comprei (aqui no Brasil mesmo, já que a situação era urgente e não dava pra esperar entrega internacional) e paguei +- R$50,00,  e foi o dinheiro mais bem gasto da vida!
No dia que ele chegou, eu fui passar na Isabela e ela perguntou se era esmalte. Eu disse que sim, mas ela não gostou porque não tinha cor… hehe – puxou a mãe. Eu passei um esmalte (anti-alérgico) rosa, com brilho, e o Mavala Stop por cima. Daí a pouco ela chegou perto de mim chorando, dizendo que não queria comer nada porque a boca estava com gosto ruim… tadinha! Fiquei com dó, mas comemorei.
Desde o primeiro dia que eu passei o Mavala, a Isabela NUNCA MAIS pôs o dedo na boca. Eu continuei passando durante 2 semanas, de 2 em 2 dias, à noite, pra ela não perceber que era o tal esmalte.
Nunca mais, gente, nunca mais! Depois dessas 2 semanas (em julho) eu não precisei passar mais. Mas estou guardando o vidro para alguma recaída, que graças a DEUS não aconteceu ainda, e acho mesmo que não acontecerá!
Fica aqui essa dica para as mamães que estão procurando por uma solução pra esse problema, que é sério. Se não for resolvido a tempo causa sérios problemas na dentição, na arcada, na mordida, etc, só um dentista mesmo pra explicar melhor, mas não deixe pra resolver muito tarde. No caso do Mavala Stop, a recomendação é usar a partir de 3 anos de idade.
E boa sorte, tomara que dê certo como deu pra minha pequena!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...