10 dicas para empreender sem sair de casa

10 dicas para empreender sem sair de casa, garantindo renda extra e trabalhando a criatividade

Abrir um negócio é o sonho de muitos brasileiros, mas você já pensou em como seria ter o próprio negócio trabalhando em casa? Muitas mulheres, principalmente, em um nobre ato de sacrifício pessoal, abrem mão da carreira para se tornarem mães em tempo integral e assim cuidar apenas dos afazeres domésticos, o que, na prática, dá muito trabalho.

Com o passar dos anos, os filhos maiores e os afazeres em menor escala, muitas mulheres caem na rotina, começam a se sentir desanimadas, correndo o risco, inclusive, de desenvolver doenças psicológicas, como a depressão. Nessa altura, muitas se questionam sobre “saber” fazer outras coisas além daquilo que fizeram a vida toda.

Por isso, tenho uma notícia pra você, mulher: SIM. Com força de vontade e mente aberta para novas experiências e aprendizados você vai começar a caminhar pelo caminho certo, além de ajudar a fugir do trivial, pode se tornar renda extra para a economia do lar. Mas lembre-se, é preciso se aperfeiçoar, estudar, ir além para ganhar destaque.

Trabalhar com a criatividade está totalmente ligado ao universo feminino, pois você pode nem perceber, mas até para fazer um jantar especial está usando a criatividade o tempo inteiro. Com isso, quero ajudar a fazer com que você descubra a profissional incrível que você pode ser e isso não tem relação alguma com números, ou seja, não importa a idade que você tem, desde que esteja disposta a aprender coisas novas mergulhando em um mundo desconhecido sem medo.

A revenda de materiais gráficos, bem como sua personalização, está com tudo no mercado e tem sido muito promissora, uma vez que, com a crise que o Brasil vem passando, muitos empresários e comerciantes recorreram a esse tipo de material para aumentar a visibilidade ou implementar uma maior divulgação de promoções, produtos e serviços.

As gráficas online que trabalha apenas para revendedores são ótimas opções  para quem está entrando no mercado de design e impressos, pois possui preços acessíveis e uma infinidade de materiais que podem ser ofertados a diferentes nichos de trabalho, seja para empresas maiores ou autônomos, além de ter o diferencial de ser online, ou seja, você não precisa sair de casa nem para enviar os pedidos para a gráfica. Abaixo você encontra algumas dicas de como entrar nesse segmento e ter um bom lucro sem sair de casa, contribuindo para a renda familiar sem deixar os afazeres do dia a dia de lado.

empreender em casa - 10 dicas

 

1 – Seja curiosa

Principalmente com relação a aprender coisas novas e funcionalidades de ferramentas de design, você vai precisar delas para produzir e finalizar arquivos antes de mandar para a impressão na gráfica. São muitas as ferramentas existentes hoje em dia, mas a mais conhecida é o Photoshop, muito utilizado para tratamento de fotografias. Também podem ser utilizados o InDesign e Illustrator, esses são os mais indicados para editoração, ou seja, para fazer materiais gráficos.

Ao decidir utilizar alguns desses, fuce. Faça testes para descobrir as funcionalidades, veja tutoriais em vídeo e escritos, converse com alguém que entenda. Essas ferramentas possuem capacidade imensa para brincar com o que quiser referente a imagens.

 

2 – Faça um portfólio

Pegue os testes e trabalhos que fez por conta própria e compile em algum site. O Behance e o Cargo, além de serem ótimos para você expor o seu trabalho, também são maravilhosos para buscar referências e inspirações para novos projetos, desde os mais simples, até trabalhos extremamente minuciosos e que demandam muitas funcionalidades. Não se preocupe, você consegue.

 

3 – Se venda

Venda o seu trabalho para as pessoas mais próximas, pode não parecer, mas o marketing boca a boca ainda funciona muito bem e alguém pode acabar te indicando para alguém que precise de materiais gráficos.

 

4- Não se limite, mas saiba até onde ir

Um passo de cada vez. Não tente pegar trabalhos muito difíceis logo de cara, saiba até onde você consegue ir com as ferramentas. Designers super conceituados começaram de baixo, fazendo pequenas artes para apresentações de slide. Não queira dar um passo maior do que pode, a sinceridade consigo mesma é mais importante e permite que você não perca um cliente, pois dizer que vai entregar um projeto, mas no fim entregar algo diferente pode fazer com que você perca uma venda e um cliente fiel em potencial.

 

5- Menos é mais

Evite excesso de elementos em um único material. Isso polui o produto e pode deixar informações soltas. Dê preferência para um projeto mais “clean”, ou seja, em tradução literal, mais limpo. Um cartão de visita, por exemplo, pode ficar incrível e super conceitual com uma boa ideia de diagramação e poucos elementos. Aliás, neste tipo de material, sempre priorize o nome da empresa, o logotipo, o nome da pessoa responsável e os contatos de telefone e e-mail. Nada além disso, pois o cartão de visita é um material pequeno e com informações pontuais, por isso não se deve poluí-lo.

 

6- Comece por você

Que tal começar preparando materiais para você mesma? Faça um cartão de visita para a sua marca, folhetos com os trabalhos de revenda que você exerce. Personalize o seu ambiente de trabalho – mesmo que ele seja na sua casa – e vista a camisa da sua própria marca. Confie nela para que todas as outras pessoas também confiem.

 

7- Atualize-se

Esteja por dentro de tudo o que acontece no mundo gráfico, mas principalmente, no mundo do design. Veja as novas tendências de cores, de projetos, o que está na moda agora, qual o tipo de arte que as pessoas estão buscando para seus materiais gráficos, fontes e um mundo de coisas novas que vão te ajudar a ter mais ideia e nadar a favor da correnteza.

 

8- Aperfeiçoe-se

Há inúmeras opções de cursos gratuitos ou com baixo investimento para quem não quer fazer uma graduação completa. Workshops, feiras e até mesmo cursos online sobre ferramentas e sobre o que está acontecendo no mercado agora, o que os clientes estão buscando e tudo o que pode ser interessante e que agregue na hora de você fazer novos clientes e lucrar mais.

 

9- Saiba quanto cobrar

Antes de mais nada, é preciso avaliar o seu nível profissional, o quão graduado é para exercer tal função, os conhecimentos que o trabalho exige unidos aos seus conhecimentos, o seu tempo de experiência e bagagem técnica. É preciso ser honesto consigo mesmo para ser honesto com quem deseja comprar o seu serviço. Dessa forma, ninguém perde e você ainda pode fidelizar o cliente para futuros trabalhos e indicações. A maioria dos profissionais cobram por hora de trabalho, mas isso depende de cada um.

Você também pode gerar um valor hipotético de salário mensal. Digamos que você deseja um salário de R$ 3.000,00, para trabalhar 7 horas por dia e 20 dias no mês. Isso gera 140 horas mensais que dividido pelo salário resulta em R$ 22,00 pela sua hora de trabalho. A partir disso, é possível avaliar o tempo que gastará e o preço a ser cobrado.

 

10- Acredite em você

Muitas pessoas tem o costume de deixar algo de lado quando surgem as dificuldades, mas acredite em você mesma, não deixe que nada e nem ninguém a faça desistir por motivos banais. O aprendizado pode até ser trabalhoso, pois são muitas funcionalidades a aprender, mas não é impossível. Com o tempo você vai ver que é uma questão de prática e quando perceber já será expert no assunto. Muitos talentos são perdidos pelo que os outros falam, por isso, não deixe que ninguém fale que você não é capaz. Se você acredita em si mesma, vá em frente e mostre que eles estavam errados.

 

Espero que essas dicas ajudem a enfrentar novos desafios, conquistar novas posições, entender de um mercado diferente e, claro, conseguir muitos clientes. Se precisar de alguma ajuda, conte comigo. Depois conta aqui no blog como está sendo a experiência, assim podemos ajudar outras mulheres a saírem da rotina e ir além daquilo que nem imaginavam que eram capazes.

 

 

TPM – o que ela faz comigo?

TPM não existia no meu mundo, mas hoje em dia…

Nunca tive TPM até 2013. Essa palavra não existia no meu vocabulário, nem na minha vida. Hoje, em compensação, ela resolveu descontar todo o tempo em que eu a ignorei… Quer saber um pouco mais? Senta que lá vem história…

Antes de 2013…

Eu não sei o que aconteceu comigo em 2013, mas tudo mudou naquele ano. Aliás, eu tenho uma desconfiança: stress. Naquele ano eu fui 6 ou 7 vezes ao hospital por conta de uma inflamação na garganta que ía e voltava, até que tomei um antibiótico que me deu uma reação violenta  quando estava no Rio procurando um apartamento. Quem se lembra? Fiz este post no quarto do hotel: Sobre saúde, remédios e afins

Nessa mesma época: eu estava trabalhando muito (ainda com arquitetura), sendo cobrada por algumas coisas que não dependiam de mim (entregas de fornecedores, mão de obra – quem administra obra sabe como é, o cliente cobra da gente e nós temos que comprar a briga, no final todo mundo cobra de todo mundo), meu marido foi convidado para trabalhar no Rio e eu comecei a planejar a mudança, procurar apartamento, escola, etc.

Em um mês desses, não me lembro qual, cheguei a fazer um exame de gravidez, pois não menstruei por quase 2 meses! Contei para minha ginecologista que estava tendo dores, períodos de nervosismo, choro, enfim, tudo o que nunca tive antes, e ela me pediu exames para ver como estavam os hormônios. Fiz, e estava tudo normal. Conclusão? Era “só” TPM.

De 2013 pra cá…

De lá pra cá é regra: eu perco 2 dias por mês, às vezes 3. Meus sintomas de TPM eu já reconheço, e são sempre:

-dor de cabeça;

-dor nas costas, uma dor bem pontual, parece uma fincada;

-mau humor, choro e tristeza. Tudo junto e misturado!

-vontade de devorar chocolate, doce ou qualquer coisa que me dá prazer ao comer – tão caricato isso, né? Mas é verdade, parece que chocolate é remédio nesses dias!

-inchaço. A balança aponta 2Kg a mais de uma hora pra outra.

Estou fazendo a lista mentalmente e estou achando até pouco diante do estrago que sinto todo mês. Aliás, hoje estou escrevendo este post como uma espécie de desabafo, porque simplesmente não consigo fazer mais nada além disso hoje. Ah, deixa eu contar um caso engraçado: meu marido ainda não tinha se acostumado muito com essa nova Luciana. Em um sábado à tarde, eu estava à toa em casa, e resolvi arrumar algumas coisas na cozinha, dessas coisas que a gente não arruma tempo para fazer nunca: organizar os temperos, jogar coisas fora, limpar aquelas taças que estão guardadas há muito tempo, enfim. Fui me empolgando e não sei porque, de uma hora pra outra comecei a chorar – imagine a cena!!!! Marido chega na cozinha, me vê limpando coisas e chorando igual uma doida, já ficou preocupado (deve ter pensando que tinha feito alguma coisa, kkkk) e foi me perguntando o que aconteceu! Eu, chorando, sem nem saber o motivo, expliquei que não sabia, mas que estava com vontade de chorar. Ou seja, nem eu nem ele tínhamos a menor noção do que estava acontecendo!

Só sei que dali ele me tirou, eu tomei um banho e nós fomos jantar num restaurante bacana – pelo menos isso me rendeu uma saída. Mas que foi ridículo, isso foi. Pura TPM, só saquei isso depois. Mas hoje em dia meu marido já está avisado que isso agora existe na minha vida…

 

 

 

TPM

O que o médico disse?

Essa foi a parte mais triste. Quando conversei com a ginecologista estava querendo procurar alguma coisa que curasse os novos sintomas que eu tinha. Como pra mim era tudo novo, eu achava que era uma doença e que eu tinha que tomar alguma coisa para melhorar! Se eu não era assim, eu queria continuar não sendo assim, poxa… Depois de conversar, chorar as pitangas e entregar os exames

Sabe o que ela me disse?

Bem-vinda ao meu mundo!

PT, saudações

Simples assim. Essa é a minha nova realidade, aceita que dói menos, Luciana. A partir daí, vocês sabem: eu me mudei, vim pra longe da família, engordei, emagreci, engordei de novo (menos, mas foi…) e a TPM continua aqui, firme e forte. Ainda não achei “remédio“, mas já li a respeito de coisas que podem ajudar… se alguém tiver alguma receitinha eu aceito de coração.

Hello, tem alguém aí? Me conta se você tem um segredo pra me ajudar?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...