Cosmético caro vale a pena? Como decidir comprar ou não?

Cosmético caro vale a pena? Cosmético caro x barato – como definir o que comprar?

Sempre leio algo como: “que cosmético caro! Que preço absurdo! Vale a pena comprar esse cosmético caro desse jeito?” ou então: “você só usa cosmético caro”. Resolvi fazer um vídeo para falar sobre isso, espero que vocês gostem! Logo abaixo vou continuar falando sobre isso e dar alguns exemplos:

Respondendo aos comentários – você só usa cosméticos caros!

Eu entendo que muitas pessoas pensem que eu só uso cosméticos caros. Na verdade, quem acompanha o blog desde o começo (e tem gente que me segue desde 2010, lá atrás!) sabe como eu sempre mostrei todo tipo de produto no blog, não só porque eu usava e uso esses produtos, como também recebia de algumas marcas (como Avon, Jequiti, Granado).

Depois de um tempo comecei a achar – e posso ter errado nisso mesmo – que todo mundo já conhecia aquele shampoo que tem na farmácia, e que não valeria a pena falar de uma coisa que todo mundo já está cansado de conhecer. Bobagem minha, né? Afinal, eu posso contar a MINHA experiência com aquele produto já conhecido, e que pode acrescentar alguma informação para alguém. Eu posso usar de uma maneira diferente, posso ter uma dica diferente, enfim, acabei dando mais espaço para os produtos diferenciados – muitos deles são caros mesmo – e os outros mais comuns e acessíveis acabaram ficando de lado.

Cosmético caro é bom e cosmético barato é ruim?

cosmetico caro vale a pena?

Já falei aqui no blog quando falei sobre diferença entre cosmético e dermocosmético que ninguém precisa ter preconceito com produto barato. Existe muito marketing envolvido: nas marcas, nas promessas dos produtos, nos resultados dos produtos, e no “objeto de desejo” que muitos produtos caros representam. Eu mesma já usei vários produtos de luxo como cremes da Chanel, Lancome, e não vi resultados que justificassem o preço. São bons produtos, mas não são 10x melhores que os bons dermocosméticos que eu já usei, portanto, na minha opinião, são produtos de luxo mesmo e não valem o que custam.

Por outro lado tenho vários produtos maravilhosos que compro por preços baixíssimos, como o Mira Cuticle da Avon, que é o melhor produto para cuidado das cutículas, o Gel para Pés e Pernas Cansadas Granado, o Creme Nivea, sem falar em todos os produtos Elseve, que eu nunca escondi no blog que são minha linha preferida de cuidados diários para os cabelos – uso desde a década de 90, e compro pra minha família.

Gosto de usar cosméticos caros? Claro. Sempre que po$$o, eu uso. E vocês sabem também que muitos dos cosméticos caros que eu mostro aqui eu não compro, mas recebo das marcas e lojas parceiras. E não vou deixar de mostrar o produto ou marca X só porque ele é barato ou caro – não faço essa distinção no blog. Prefiro dar minha opinião sobre tudo o que chegar até as minhas mãos, e ajudar quem estiver pesquisando a decidir se vale a pena ou não investir naquilo.

Por que um cosmético é caro?

O preço de um cosmético pode ter vários motivos. Eu listo 4:

  • Cosméticos importados tem o chamado “custo Brasil” – a importação é complicada no Brasil, taxas e impostos são embutidos nos preços e explicam a diferença de preço entre o produto no país de origem e aqui.

EXEMPLO: o Mineral 89 custa €18 – na cotação de hoje, aproximadamente  75 reais. No Brasil ele é vendido por 150,00.

  • A marca pode fazer diferenciação nos preços para se posicionar no mercado. Elas diferenciam seus preços para diferenciar seu público – é uma estratégia de marketing, e quanto a isso a gente não tem o que fazer.
  • Existem marcas que investem muito em pesquisas e estudos para inovar e trazer novas tecnologias, e isso também tem um custo. Alguns produtos são inovadores, tem alta concentração de ativos caros, e isso tem um custo. A Shiseido é uma marca mundialmente reconhecida por isso, e também por terem os melhores salários de seus funcionários. Tudo isso reflete nos preços dos produtos.
  • Alguns produtos são caros por pura enganação. Prometem milagres, fazem propagandas enganosas e quando vemos seu rótulo é o puro “feijão com arroz”. Ler o rótulo dos produtos e fazer umas pesquisas no Google pode fazer com que você não caia nessas furadas!

Eu sempre entendi que o papel dos blogs em meio a tudo isso é ajudar o consumidor a diferenciar essas coisas que eu citei. Mais uma vez, em mais um post eu repito:

Blogs não devem fazer você comprar mais. Devem ajudar a comprar MELHOR.

Por isso eu sempre considerei importante fazer minhas resenhas de uma maneira que ajude as pessoas a entenderem o produto, sua proposta, e tentar definir se vale ou não comprar o produto para usar.

Bom mesmo seria se pudéssemos cada vez mais ter amostras de cosméticos que nos ajudassem a saber sua cor (no caso de bases, protetor solar com cor), seu acabamento em nosso tipo de pele, questões de tolerância, mas quando não temos acesso a essas amostras, o jeito é perguntar pra quem a gente conhece. E de vez em quando, essas pessoas estão na internet, em blogs :)

Eu não faço, nunca fiz distinção de preço ou marca de produto aqui no blog. E vou continuar mostrando cosméticos caros e baratos – e vou prestar atenção nesses produtos da minha prateleira que eu sempre achei comuns demais para serem resenhados, vou colocar tudo pra jogo!

E vocês, o que pensam sobre isso?

 

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Comentário

  1. 10 dicas para empreender sem sair de casa - Mulher sem photoshop
    jun 15, 2018 @ 12:00:21

    […] caminhar pelo caminho certo, além de ajudar a fugir do trivial, pode se tornar renda extra para a economia do lar. Mas lembre-se, é preciso se aperfeiçoar, estudar, ir além para ganhar […]

    Reply

Deixe um comentário!

*